OUTUBRO ROSA CHAME alerta que violência doméstica pode afetar a saúde da mulher


Violência doméstica e os cuidados com a saúde. Temas diferentes, porém, interligados. Quando passam por alguma agressão, seja ela física ou não, as mulheres ficam vulneráveis aos problemas de saúde, e por estarem com a autoestima abalada, acabam não procurando atendimento médico.


Esse foi um dos assuntos abordados no treinamento promovido para servidoras da Procuradoria Especial da Mulher (PEM), da Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR). A palestra faz parte da programação de abertura da campanha Outubro Rosa, também em alusão ao Dia Nacional de Combate a Violência Contra a Mulher, nesta quinta-feira (10). O intuito é sensibilizar ainda mais estas servidoras para que elas possam atender as vítimas de violência doméstica da forma mais completa possível.


Segundo a coordenadora do Chame (Centro Humanitário de Apoio à Mulher), Elizabete Brito, a proposta é alertar as mulheres para as duas questões: o câncer de mama e a violência doméstica. “Quando a mulher sofre violência, não quer procurar um médico ou trabalhar, isso influencia, porque o psicológico afeta na saúde física”, explicou.

Entre as orientações repassadas pela fisioterapeuta pélvica Caroline Queiroz, ela ressaltou que a vulnerabilidade da saúde da mulher também está ligada à autoestima. “A mulher quando sofre uma violência, a autoestima vai muito para baixo e ela dificilmente se olha, se cuida. Então a saúde dela como um todo fica debilitada”, explicou.


Uma das participantes da palestra foi a servidora Hiolete Alves, de 43 anos. Ela explica que já passou por momentos em que a saúde ficou em segundo plano, quando ela voltou as atenções para a criação dos filhos. Mas, agora que eles cresceram, ela diz que está se cuidando mais, e ainda incentiva as mulheres da família a terem o mesmo hábito. “Todo ano faço meus exames. As vezes a mulher cuida mais do outro, da família, mas tem que tirar um tempo para si, colocar a saúde em dia para que possa ter uma vida mais feliz”, disse.


Para encerrar a ação, a equipe da PEM realizou uma panfletagem em frente à Assembleia Legislativa de Roraima, para alertar a população sobre câncer de mama e a violência doméstica.


Texto: Vanessa Brito

Foto: Alex Paiva

SupCom ALE-RR

1 visualização