Núcleo Reflexivo Reconstruir aposta no diálogo para recuperar agressores de mulheres



Projetado para trabalhar a sensibilização de agressores, o Núcleo Reflexivo Reconstruir, investe no diálogo para orientar sobre a violência doméstica ou familiar. No primeiro ciclo deste ano, 34 homens estão sendo acompanhados. Os encontros semanais giram em torno de temas relacionados à Lei Maria da Penha, feminicídio, autoestima, família, saúde do homem, álcool e drogas.

O projeto é executado pela Procuradoria Especial da Mulher, da Assembleia Legislativa de Roraima. Os atendimentos ocorrem de forma individual e coletiva. Os encontros semanais ocorrem todas as quartas-feiras, das 9h às 11h. Ao todo, três ciclos ocorrem ao longo do ano.

Para o desenvolvimento do projeto, uma equipe multidisciplinar composta por psicólogo, advogado, assistente social e pedagogo, atendem os assistidos. De acordo com o coordenador do Núcleo, Romulo Alves, a consequência desta assistência é buscar a mudança do indivíduo. “Nosso objetivo é atenuar a violência doméstica e familiar em todas as suas formas, por meio de uma psicoeducação reflexiva. O resultado é a mudança do homem na sociedade”.

No ano passado, 103 homens foram atendidos pelo Núcleo, por meio de parcerias com a Vara de Execução de Penas e Medidas Alternativas (Vepema), CHAME (Centro Humanitário de Apoio à Mulher), Juizado da Violência Doméstica, coordenados pelo Tribunal de Justiça de Roraima (TJRR), Defensoria Pública do Estado (DPE) e Abrigos de Imigrantes coordenados pela Operação Acolhida.


Novidades


Após a sanção da lei que obriga bares, restaurantes e casas noturnas a prestarem auxílio às mulheres em situações de risco, o Núcleo Reflexivo Reconstruir está capacitando os servidores para levarem informações aos estabelecimentos. “Estamos primeiro treinando nossos servidores e depois vamos capacitar os funcionários e proprietários dos estabelecimentos”, destacou Romulo.

Para intensificar as ações de prevenção e combate a violência contra as mulheres, o Núcleo lançará neste ano o projeto Homem do Futuro. A inciativa busca sensibilizar jovens estudantes e empresas da capital sobre a violência de gênero, trabalhando a informação.


Texto: Jéssica Sampaio

Foto: H. Emiliano

SupCom ALE-RR

26 visualizações1 comentário