Moradores de Rorainópolis reclamam da tarifa de energia e da ausência de serviços no município



A CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Energia Elétrica, da Assembleia Legislativa de Roraima, participou de audiência pública nesta sexta-feira (13) sobre energia elétrica em Rorainópolis, a 321 quilômetros de Boa Vista, com participação expressiva da população.

Os moradores aproveitaram a presença de parlamentares estaduais, municipais e representantes da concessionária Roraima Energia para cobrar melhorias no atendimento, pois segundo pessoas na plateia, quando alguém chega na agência da Roraima Energia é destratado por funcionários. Pediram ainda qualidade do serviço prestado às famílias da região e, principalmente, questionaram sobre o aumento na taxa de tarifa cobrada para residências urbanas e rurais. A audiência chegou a ser interrompida por alguns momentos devido à exaltação de quem acompanhava os discursos na Praça dos Três Poderes.

Os membros da CPI da Energia acompanharam todos os questionamentos e pontuações elencadas pelos moradores. A presidente da comissão, deputada Betânia Almeida (PV), garantiu que diante de todas as demandas e denúncias apresentadas nesta audiência pública, pretende retornar ao município para aprofundar as investigações. “Ou a Roraima Energia se encaixa na nossa realidade, ou teremos que fazer como em outros estados, rescindir contrato e contratar alguém que preste um serviço de qualidade”.

Morando há 30 anos em Rorainópolis, José Passos lembrou que na década de 1990 a energia funcionava até às 22h. Hoje, com as constantes interrupções e com aumento na tarifa de energia elétrica, a sensação é de regressão. “Hoje voltamos ao tempo do diesel e digo que melhorou, mas não podemos pagar”, lamentou o homem.

Ele resumiu a insatisfação da população: a tarifa, corte sem aviso prévio e insatisfação no atendimento. “Tem gente que paga no mínimo R$280 reais e que não pegava R$150, algo extremamente surreal”, pontuou José Passos.

A relatora da CPI da Energia, deputada Lenir Rodrigues (Cidadania), receberá todas as reclamações para acrescentar ao documento. “Vamos, provavelmente, voltar aqui para colher esses depoimentos dos absurdos aqui em Rorainópolis, ou seja, teremos muito mais trabalho na CPI e que valerá a pena”. Ela complementou: “Um agricultor que não tem quase nada, só uma geladeira e paga R$351 reais e ele pagava menos de R$50 reais, isso é um assalto”.

Da Assembleia Legislativa de Roraima participaram ainda os deputados Jeferson Alves (PTB) e Gabriel Picanço (Republicanos). A Audiência Pública foi realizada pela Câmara Municipal de Rorainópolis. Segundo o presidente da Câmara, Márcio da Alba (DEM), as informações serão formalizadas para as autoridades competentes. “Muito importante a presença da CPI da Assembleia porque precisamos das bancadas estadual e federal para ajudar a mudar a nossa realidade”.

O prefeito Leandro Pereira (SD) ressaltou que nesta sexta-feira, por exemplo, no momento da audiência, a cidade estava com uma fase de tensão na energia. “Queremos atenção da Roraima Energia e do Governo Federal”.

Texto: Yasmin Guedes

Foto: H. Emiliano

SupCom ALE-RR

0 visualização