Estudantes aprendem a identificar casos de tráfico de pessoas



Durante a semana passada a Escola Estadual Professora Maria das Neves Rezende, localizada no Bairro Asa Branca, foi a 31ª atendida pelo projeto Educar é Prevenir, da Assembleia Legislativa de Roraima. Uma roda de conversa com a participação da Rede de Enfrentamento marcou o encerramento das atividades na sexta-feira, dia 13 de setembro.

Na segunda-feira, a equipe técnica do Educar entregou os materiais utilizados nas capacitações. Na terça-feira os professores e gestores foram preparados para trabalhar com os alunos dentro na sala de aula. Na quarta e quinta-feira, os alunos participaram de palestras e assistiram a documentários, relacionados ao tráfico e exploração sexual de pessoas.

O estudante do terceiro ano, Sebastian Pereira, de 18 anos, não imaginava que o Estado era rota do tráfico de pessoas. Para ele, o projeto lhe ajudou a esclarecer algumas dúvidas sobre o assunto. “Existem vários casos de pessoas sendo escravizadas, vítimas desse tipo de crime. É importante trazer esse assunto para a escola porque há alunos que já passaram por isso e também serve de alerta para evitar futuros casos”, explicou.

Para Yasmin Leite, de 16 anos, receber informações sobre este assunto é importante para ajudar a comunidade escolar no combate ao crime. “Eu achei importante para falar mais sobre esse assunto dentro da escola, com os alunos, dentro de casa, com a família, amigos e assim sucessivamente”, disse.

A estudante relatou ainda um fato de exploração que aconteceu com uma amiga e ela não sabia a quem procurar. Com a informação, a partir do projeto Educar é Prevenir, ficou mais fácil encontrar ajuda. “Ela chorava e eu ficava sem saber o que falar e fazer porque não fazia ideia. Hoje eu já sei quem procurar”.

A gestora da escola, Maria Edna Neres, explica que a instituição fica localizada em uma zona de perigo e os alunos estão vulneráveis a esse tipo de situação. “Trouxe um alerta para toda a comunidade escolar, foi uma semana de conhecimento para que eles saibam o que acontece não só aqui, mas em todo país e lá fora também”, comentou.



Rede de Enfrentamento



Para o desenvolvimento das atividades do Educar é Prevenir, o projeto conta com o apoio da Rede de Enfrentamento, que é composta pelas Polícias Militar, Civil e Rodoviária Federal, Conselho Tutelar, Fórum de Defesa da Criança e do Adolescente, Procuradoria Especial da Mulher, que é coordenado pela deputada Lenir Rodrigues (CIDADANIA).

Conforme o coordenador do projeto, Glauber Batista, a Roda de Conversa é o momento em que os alunos têm para tirar dúvidas. “Na sexta-feira nós

trazemos as autoridades e representantes para tirar as dúvidas dos alunos acerca do tema tráfico de pessoas”, concluiu.

Texto: Jéssica Sampaio

Foto: Alex Paiva

SupCom ALERR

11 visualizações